Ações em Rede

As ações em rede do Circuito Liberdade abrange todos os nossos equipamentos culturais e são executadas envolvendo vários parceiros institucionais. Em rede, as ações múltiplas e diversificadas alcançam um público maior.  Além disso, a construção deste contexto potencializa recursos e habilidades e compartilha soluções.

  • Natal

    Natal tem programação gratuita na Praça da Liberdade e nos espaços

    O Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais - Iepha-MG e Circuito Liberdade realizam no fim de ano as celebrações de Natal. A Praça da Liberdade ganha iluminação da Cemig e o Circuito disponibiliza para o público uma programação extensa e gratuita. São corais, bandas, exposições, espetáculos e oficinas, dentre outras atividades nos equipamentos culturais, nas escadarias dos edifícios históricos e também na praça, incluindo apresentações no Coreto. Neste período, são feitas alterações no trânsito, com o fechamento de vias para circulação de veículos para que o público possa circular com segurança e aproveitar as atrações, principalmente as crianças. 

    Em 2016, a programação do Natal Minas Gerais trouxe uma novidade: o Circuito de Presépios e Lapinhas de Minas Gerais, que integrou uma ação em parceria com os municípios mineiros, para valorizar o nosso patrimônio cultural. Com esta iniciativa do Iepha-MG, presépios de diversas cidades puderam ser visitados em todo o Estado. Neste mesmo ano, além dos espaços culturais, o Palácio Cristo Rei e o Servas, igualmente acolhidos na Praça da Liberdade, também receberam presépios que puderam ser visitados pelo público. O Centro de Arte Popular Cemig e o MM Gerdau Museu das Minas e do Metal foram além e organizaram exposições de presépios, reunindo peças de diversos autores brasileiros.

    O Circuito de Presépios e Lapinhas de Minas se constituiu como uma ação de salvaguarda das Folias de Reis que foram reconhecidas como bem cultural de Minas Gerais. Cerca de 250 presépios residenciais e comunitários foram montados em 150 cidades diferentes e estiveram abertos para o público.

    Em Minas, a tradição dos presépios está presente desde o século 18, com muitos deles montados nos chamados oratórios-lapinhas, encontrados nas regiões de Santa Luzia e Sabará.

    O Iepha-MG, desde a promulgação do decreto 42.505/2002 que institui o instrumento de registro do Patrimônio Imaterial, atua na identificação do reconhecimento das manifestações culturais de Minas Gerais.

    Em 2015, o tradicional Natal de Minas trouxe um conceito diferente dos anos anteriores e algumas novidades para o público. Com o objetivo de valorizar o patrimônio da Praça da Liberdade e intensificar a experiência e o convívio das pessoas, a decoração natalina ganhou novas formas e também veio alinhada a uma programação cultural diversificada, com direito a exibição de uma projeção mapeada na fachada do Palácio da Liberdade e ao fechamento do trânsito para carros.

    A cor escolhida para nortear a decoração foi o branco e os detalhes dos enfeites fizeram referência ao barroco mineiro. Foram utilizadas mais de 400 mil microlâmpadas, cerca de 6 mil metros de mangueiras luminosas e 1.050 lâmpadas strobo, além de 530 enfeites de luz, como estrelas, globos e holofotes. No cenário, o coreto ganha destaque. Coberto por milhares de microlâmpadas, a pequena construção do centro da Praça parece flutuar num mar de luzes.

  • Circuito das Letras traz mais de 130 autores para o Circuito Liberdade

    Em 2016, o Circuito das Letras reuniu mais de 130 autores no Circuito Liberdade

    Durante cinco dias, escritores, editores, ilustradores, roteiristas, bibliotecários e artistas que trabalham com a palavra como suporte ou inspiração debateram o papel da literatura também em outras expressões artísticas e culturais. Os convidados participaram de mesas-redondas, painéis, oficinas, contações de histórias, ações educativas de estímulo à leitura, grupos de trabalho, shows, feiras, picnic literário e saraus poéticos.

    Os espaços do Circuito Liberdade receberam nomes como Humberto Werneck (SP), Gregório Duvivier (RJ), Bruno Cany (França), Ricardo Aleixo (MG), Rejane Dias dos Santos (MG), Schneider Carpeggiani (PE), Jacques Fux (MG), Anelito de Oliveira (MG), Renato Negrão (MG), Angela Lago (MG), Maria Esther Maciel (MG), Maria Mazzarello Rodrigues (MG), Ana Elisa Ribeiro (MG), o cantor Criolo (SP) e o cantor e compositor Flávio Renegado (MG), dentre outros.

    Realizado pela Secretaria de Estado de Cultura, por meio da Superintendência de Bibliotecas Públicas e Suplemento Literário, do Instituto Estadual de Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA-MG) e BDMG Cultural, o Circuito das Letras integra as ações do Governo do Estado de incentivo à leitura em Minas Gerais. A iniciativa é coordenada pelo Circuito Liberdade, que está sob a gestão do IEPHA-MG, e sua concepção contou com a colaboração dos 14 espaços que integram o projeto e faz parte das ações do Circuito que buscam uma maior articulação com o espaço urbano e com os diversos coletivos artísticos e populares do Estado.

    Plano Estadual do Livro

    A programação foi um dos subsídios para a elaboração do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do estado de Minas Gerais. Propõe a democratização do acesso ao livro, a valorização institucional da leitura e o incremento de seu valor simbólico, a formação de mediadores para o incentivo à leitura e o desenvolvimento da economia criativa do livro como estímulo à produção intelectual e ao desenvolvimento da economia regional e nacional.

  • Capa do Museomix MG

    Circuito Liberdade realiza o primeiro Museomix da América do Sul

    Em 2017, o Circuito Liberdade sediou a primeira edição da América do Sul do Museomix, uma maratona criativa internacional que acontece simultaneamente em diversos países. Nos dias 10, 11 e 12 de novembro, os participantes da maratona, os chamados “museomixers”, se reuniram no Museu Mineiro e, depois, no prédio Rainha da Sucata, na Praça da Liberdade para desenvolver projetos inspirados no acervo dos museus do Circuito Liberdade.

    O Museomix é feito por uma comunidade diversificada de designers, artesãos, programadores, mediadores, comunicadores e artistas, amadores ou profissionais, que partilham o desejo de construir um museu aberto, conectado e participativo: o museu do futuro. Os participantes do projeto em Minas Gerais estão reunidos na comunidade Museomix MG, que pode ser acessada pelo Facebook.

    Unindo ideias criativas e ferramentas tecnológicas, como impressoras 3d e máquinas de corte a laser, os museomixers imaginam e constroem dispositivos inovadores de mediação entre acervos e visitantes.

    A organização de um Museomix faz parte de uma dinâmica local e coletiva. É uma comunidade que se envolve e que deve ser construída, organizando eventos como o chamado “apéromix”. São encontros para a presentação do conceito da maratona, e quando é possível solicitar parceiros técnicos e institucionais. No entanto, as comunidades Museomix de todo o mundo estão sempre conectadas e trocam informações o tempo todo.

    O Circuito Liberdade realizou dois apéromixes. O primeiro aconteceu no Museu Mineiro, em 13 de dezembro de 2016, para apresentação do projeto para a comunidade local. Este encontrou contou com a presença de Laura Maringoni, produtora do projeto no Brasil; Jean Pascal Quiles, adido cultural da embaixada da França em Brasília; e Christine Masson, adida cultural da embaixada da França em Minas Gerais.

    O segundo apéromix foi em 23 de agosto, no Guaja, para uma conversa sobre o Museomix e apresentação de vídeo com a presença de museomixers globais: Marialya Bestougeff, Christophe Monnet, Célia Ligeon, membros da comunidade Museomix MG e parceiros do projeto.

    Os museomixers são divididos em grupos que desenvolvem protótipos até o final da maratona de três dias. Eles utilizam tecnologia e acervos e ficam em contato com museomixers de outros países. Ao final do terceiro dia, o público pode conhecer os projetos criados pelos participantes, que posteriormente poderão ser implementados em espaços do Circuito Liberdade.

    O Museomix teve origem na Franç, em 2011 e, desde então, já aconteceu em oito países e 43 museus. Este evento internacional acontece todos os anos em novembro e sua organização é apoiada por uma maioria de voluntários. O Museomix incentiva a multidisciplinaridade, a descoberta de outras formas de trabalho e outras metodologias.

    Parcerias

    Em Belo Horizonte, a maratona criativa foi realizada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG), por meio do Circuito Liberdade, e pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência,Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes). O projeto conta também com a parceria da Embaixada da França no Brasil, do BDMG Cultural, do Centro Universitário Newton Paiva e das faculdades UNA e UniBH, além de empresas e entidades.

    Programação associada

    Além da maratona criativa de três dias, o Museomix Circuito Liberdade ofereceu ao público uma extensa programação associada, de setembro até novembro de 2017 , com atividades gratuitas voltadas para a temática cultura, tecnologia e inovação. Oficinas, palestras, mostras e diversas atrações para todas as idades foram realizadas nos espaços culturais do Circuito Liberdade e na Praça da Liberdade.

  • Circuito Liberdade promove concurso cultural de fotos do Instagram

    O Circuito Liberdade promove, uma vez por ano, o Concurso no Instagram. Ttrês edições já foram realizada: 2015, 2016, 2017, com os respectivos temas: Mês da Consciência Negra, Presépios de Minas Gerais e Meu Olhar Sobre o Patrimônio.

    O objetivo do concurso é estimular a interatividade com os seguidores das redes sociais do Circuito Liberdade. O participante deve seguir o Circuito Liberdade no Instagram, no endereço @circuitoliberdade. São registros de amadores e profissionais da fotografia e os selecionados têm suas fotos expostas na Fachada Digital do Espaço do Conhecimento UFMG, na Praça da Liberdade. Os três primeiros colocados ganham também prêmios simbólicos.

    As fotos são selecionadas pela comissão avaliadora do projeto, seguindo critérios de criatividade, estética e adequação para o suporte final (Fachada Digital do Espaço do Conhecimento UFMG).

    Mês da Consciência Negra

    O tema da primeira edição foi “Mês da Consciência Negra”, em novembro de 2015, em parceria com o Festival de Arte Negra (FAN), realizado pela Fundação Municipal de Cultura.
    Os participantes produziram fotos sobre as pessoas e os eventos do FAN realizados dentro do perímetro do Circuito Liberdade, incluindo os equipamentos culturais integrantes do complexo, no período de 21 a 30 de novembro. A hashtag usada foi #consciencianegranocircuito

    Presépios de Minas Gerais

    Em 2016, com o tema é "Presépios de Minas Gerais", o Concurso no Instagram foi realizado no período de 12 de novembro a 12 de dezembro, usando a hashtag #PresépiosdeMinas. Por meio do concurso, o objetivo foi divulgar a cultura mineira. Presépios em todo o estado de Minas Gerais foram fotografados e postados no Instagram. Esta edição do concurso integrou a programação de Natal do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico e do Circuito Liberdade.

    Meu Olhar Sobre o Patrimônio

    "Meu olhar sobre o patrimônio", tema de 2017, pretendeu estimular os mineiros a registrar objetos de sua história e de sua cidade. Nesta edição, o concurso foi realizado pelo Iepha-MG e Circuito Liberdade em parceria com o coletivo NITRO, integrando as comemorações do Dia Nacional do Patrimônio Histórico - celebrado oficialmente em 17 de agosto e também o Dia Internacional da Fotografia, em 19 de agosto. A hashtag usada foi #fotografiaepatrimônio

0
0
0
s2smodern
powered by social2s